terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Padres e Pedofilia

👨 “Pedofilia dos padres, seria algo GENÉTICO?”
[Comentarista no G+]          

  NÃO ESCOLHEMOS O QUE SENTIR, logo não escolhemos do que gostamos.
  O “prazer” é uma das bases da minha filosofia a outra é a lógica.

  Podemos decidir “como agir” diante de uma “tentação”.
  Somos responsáveis por nossos atos não pelo que sentimos.

  O que leva alguém a ter prazer em sexo com crianças?

  Não sei, mas lembremos que isso é bastante relativo.
 
  Geneticamente o garoto está pronto para o sexo quando consegue manter ereção e seus espermas estão “adultos”.

  No caso da garota a partir da primeira menstruação ela pode ser até mãe.

  Logo, não é “politicamente correto” falar da nossa genética quando o assunto é sexo com menores de idade.
  Alguém estabeleceu que nos tornamos adultos ao completar 18 anos, mas para biologia a maioria de nós deixa de ser “criança” por volta dos 12 anos.
  A “adolescência” é outra convenção moderna que surgiu com o aumento da expectativa de vida.

  Quanto aos padres é uma “provocação” do comentarista.
  Não consta que entre padres há mais pedófilos que no geral da população.

  Ocorre que pedófilos procuram atividades onde possam lidar com crianças e não levantem suspeitas.

  Cabe um ressalva, a maioria das pessoas que lidam com crianças e adolescentes, gostam dessa atividade SEM  NENHUMA CONOTAÇÃO SEXUAL.

  Não vamos ficar neuróticos “condenando” todos os profissionais que lidam com crianças e adolescentes.










.

Nenhum comentário: